Oscar acende discussão sobre gênero

Jimmy Kimmel, apresentador do Oscar, realizou um discurso sobre igualdade de gênero e diversidade  Créditos: Eddy Chen

Jimmy Kimmel, apresentador do Oscar, realizou um discurso sobre igualdade de gênero e diversidade
Créditos: Eddy Chen

Após anos de críticas sobre a “predominância branca e cisgênero” na cerimônia do Oscar, este ano o destaque foi para a presença de mulheres, trans, negros e imigrantes. O próprio discurso do apresentador Jimmy Kimmel durante a noite – e de vários artistas que entregaram e receberam prêmios – conteve várias alfinetadas e referências sobre as questões. Kimmel inclusive explicou as mudanças, colocando o espetáculo como uma vitrine para a sociedade: “o mundo está nos observando e precisamos ser um exemplo”, disse.

Em 90 anos de cerimônia de premiação, esta foi a primeira vez que um filme estrelado por um transgênero venceu uma das principais categorias do Oscar. “Uma mulher fantástica”, que tem como protagonista a cantora e atriz transexual chilena Daniela Vega, conquistou o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro, no último domingo. Na história do Oscar, outros filmes com personagens transgêneros já haviam sido premiados, porém, com atores cisgênero (pessoas com identidade de género e sexo biológico coincidentes). Além de “Uma mulher fantástica”, um dos indicados a melhor documentário, “Strong Island”, também foi um destaque na questão de representatividade trans na premiação. A produção, que aborda o racismo e as falhas no sistema judiciário, foi dirigida e escrita por Yance Ford, cineasta transexual que inclusive participou de uma das montagens exibidas durante a cerimônia.

Assunto é tema de debate entre classe médica

Levantamento do Ministério da Saúde aponta que, em 2016, o SUS atendeu 4.467 pessoas interessadas em passar pelo processo transexualizador, um aumento de 32% em relação ao ano anterior. No Paraná, o Simpósio de Atualização em Endocrinologia, promovido pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional Paraná (SBEM-PR), debateu a conduta na disforia de gênero no último final de semana, em Londrina. O psiquiatra da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba e membro do Grupo Paranaense de Sexualidade, GPSEX, Dr. Eduardo Medici, falou sobre orientação sexual, identidade sexual e disforia de gênero.

De acordo com o médico, identidade de gênero é uma questão interna, pessoal e individual. “Ninguém aprende a ter uma identidade, a pessoa simplesmente sente como ela se percebe”, comenta Medici. Para o médico, o termo “transgênero” é um guarda-chuva que engloba pessoas que não se identificam com o gênero atribuído ao nascimento, que consta no registro de identidade. Elas podem se identificar com o gênero oposto, com o mesmo gênero ou com nenhum dos dois. “Dentro desse guarda-chuva está o transsexual, que é o indivíduo que busca uma transição social do masculino para o feminino (ou vice-versa) e que, em muitos casos, busca intervenções para se adequar ou se aproximar do gênero que ele se sente pertencente, seja por meio de tratamento hormonal, vestimentas ou até cirurgia de redesignação. Mas fazer cirurgia não significa que os problemas serão resolvidos”, alerta.

Um estudo realizado em 2015 pelo Centro Nacional pela Igualdade de Transgêneros revelou que 40% das pessoas que se identificam como transgêneros tentaram suicídio – índice quatro vezes maior se comparado com o restante da população. A professora livre-docente da Faculdade de Medicina da USP, coordenadora do programa de capacitação de profissionais para o tratamento de transsexuais, Dra. Elaine Frade Costa, e o endocrinologista membro do GPSEX que atuou no Centro de Pesquisa e Atendimento à Transsexuais e Travestis na Secretaria de Saúde do Paraná, Dr. Emerson Cestari Marino, ressaltaram a importância de um tratamento multidisciplinar. “Quando o tratamento é periódico e envolve toda uma equipe médica, o trans sente a preocupação e todo o cuidado do médico com eles, há uma queda no índice de suicídio. Por isso na importância de se consultar com psicólogos que ajudem na transição, aceitação e que preparem a pessoa para as mudanças e todo o preconceito que podem ser sofrido”, comenta Elaine.

Segundo artigo publicado na revista The Lancet, os riscos de suicídio nesta população estão diretamente relacionado à violência e discriminação. Para a presidente da SBEM-PR, Dra. Silmara Aparecida Oliveira Leite, o principal passo para essas questões é acabar com o preconceito. “Precisamos mudar o julgamento da sociedade sobre as pessoas que não se identificam com o gênero de nascimento por não se tratar de escolha e para evitar a violência sofrida por estas pessoas – em especial por parte de familiares”, disse Silmara.

Sobre a SBEM-PR
Fundada em setembro de 1957, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Paraná tem como objetivo promover a expansão da endocrinologia no Estado, valorizar a especialidade médica e esclarecer à população sobre as diversas patologias endócrinas e metabólicas. Com unidades em Curitiba, Cascavel, Maringá e Londrina, a instituição conta hoje com cerca de 200 sócios.

Sexo e boca: como os dentistas podem diagnosticar precocemente a sífilis

Dia-do-sexo-300x300 - Avançando rapidamente no Brasil, a sífilis pode ser diagnosticada não apenas por especialistas em Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). O olhar atento e criterioso de um dentista pode ser determinante para o diagnóstico precoce da doença que acomete 6 milhões de pessoas por ano no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.
- O Dia do Sexo – comemorado em 6/9, uma alusão à posição sexual – é uma excelente oportunidade para falar sobre a importância do uso correto de preservativos, inclusive para o sexo oral, uma forma de contágio de várias DSTs.

 




 

São Paulo, 28 de agosto de 2017 – Ao voltar de uma viagem de férias à Espanha, um paciente do dentista Fábio Bibancos procurou um otorrinolaringologista por conta de uma queimação na garganta. Nada constatado pelo médico, reportou o incômodo ao dentista que, após exame clínico criterioso, diagnosticou sífilis. Longe de ser um caso isolado, a história ilustra o avanço de uma doença que não escolhe idade, sexo ou classe social.

Continuar lendo

A importância da investigação feminina para determinar as possíveis causas da infertilidade

A importância da investigação feminina para determinar as possíveis causas da infertilidade

FAMILIA 01 WP_20150604_21_55_07_ProÉ fundamental que mulheres e homens sejam submetidos à investigação, para que se chegue às reais causas das dificuldades para engravidar. Mas e quando é a mulher que apresenta problemas para conceber? Como funciona a investigação feminina de infertilidade?

Cerca de 20% dos casais no mundo têm algum tipo de dificuldade para engravidar e 40% destes casos têm, nas mulheres, as causas da infertilidade.
Segundo o médico especialista em fertilidade feminina da Clínica Insemine e professor da UFRGS, João Sabino da Cunha Filho, os problemas femininos para engravidar têm várias origens, como complicações na ovulação, alterações no útero e tubárias, endometriose e causas genéticas. O importante é traçar o perfil do casal para que se possa concluir onde está o problema e dar início ao tratamento. “O mais indicado é que, se o casal tenta engravidar há mais de um ano sem êxito, se inicie a investigação da infertilidade”, diz Sabino.
Na investigação feminina, fatores como idade da paciente, padrão do ciclo menstrual e avaliação da reserva ovariana são de fundamental importância para que o médico possa concluir qual é o problema e indicar o tratamento mais indicado ao caso. Na consulta, são vários os tópicos investigados pelo médico para traçar o perfil da paciente e identificar as causas das complicações. É investigado o fator hormonal e o fator ovariano; os possíveis problemas de hormônio e da ovulação; o fator anatômico; o fator masculino e o fator endometriose.
Já é comprovado que pacientes fumantes ou obesas levam um tempo maior para engravidar, atingem a menopausa de 1 a 4 anos mais cedo e possuem mais riscos gestacionais. “O cuidado com a saúde e com o corpo ajuda a manter a mulher saudável e pode ser fator imprescindível para que ela possa gerar filhos normalmente, quando desejar”, ressalta o médico.
Mas mesmo na investigação feminina da infertilidade, o homem também deve ter sua fertilidade investigada, pois pode ser ele a causa das dificuldades do casal em ter filhos. Pois isso, muitos especialistas indicam que a fertilidade de ambos seja observada simultaneamente.
A Clínica Insemine, localizada na capital gaúcha, realiza consultas personalizadas com o casal, para que o médico especialista possa conversar com ambos a respeito dos exames necessários para a investigação de infertilidade e se possa então iniciar o tratamento adequado, que possibilitará a esses casais, a chance de ter filhos.

Dicas da psicóloga e sexóloga Dra. Lelah Monteiro para manter o relacionamento amoroso sadio na era virtual!

A vida amorosa dos brasileiros virou virtual já faz um tempo. E na era dos “nudes” quais comportamentos a seguir? Como preparar os filhos? Como manter um relacionamento sadio neste universo cibernético?

A Dra. Lelah Monteiro, sexóloga, terapeuta de casais e psicanalista, nos apresenta algumas considerações importantes desse comportamento contemporâneo no mundo virtual.

“Os “nudes” estão em voga principalmente entre os adolescentes. Aí vale o cuidado, pois a sociedade é conservadora e, se as fotos caírem nas redes sociais, esses jovens passam a sofrer o bullying social. Toda esta demanda tecnológica, em muitos casos, acaba sendo um tiro pela culatra: fotos clonadas e vinganças de relações mal resolvidas. Sa be-se, hoje que constitui crime virtual quem recebe e repassa ou faz mal uso de imagens que não são suas , mas quando se viraliza, leva a fama, podendo causar outros prejuízos irreparáveis”, diz Lelah.

A terapeuta de casal vê esta prática de forma salutar, como um esquenta para o reencontro, um aperitivo sensorial e visual do que pode vir acontecer.

É válido? Claro que é.

Segundo Lelah, são ferramentas novas de algo muito antigo. É a antiga namorada que se deixa ver em momentos não tão íntimos. Os cuidados são sempre os mesmos. Ver e apagar. Criptografar. Mas que é válido é.
“É o sinal dos tempos. Todas as ferramentas são válidas para o casal ser feliz. E a informática é mais uma ferramenta como outra qualquer. Todavia, ela tem características próprias como ser imediata, com qualidade de imagem e que, com imaginação, leva o outro lado a um estado tal e qual de excitação que o objetivo é realmente rapidamente alcançado” .

Para a especialista, o importante é não restringe o relacionamento ao mundo virtual:
1- Peça que ele use a câmera do celular ou do computador sempre e converse ouvindo e vendo-o, dessa forma fica um pouco mais difícil de omitir a realidade. Não vale ser de vez em quando, pois poderá colocar outra pessoa no se lugar. Desculpas também não pegam bem, acredite existem muitas bem convincentes.
2- Nada de emprestar dinheiro, cartão de credito, passagem ou comover-se com histórias tristes, infelizmente na maioria dos casos não são reais.
3- Marque um encontro num local público, vá cada um com seu carro ou tenha independência de retornar, o presencial te dará pistas desta pessoa. Seja leve, divertido (a), nada de juras de amor eterno neste momento, se houver sexo, lembre-se do sexo seguro sempre!

Saída e chegada na hora do amor….

Quando publiquei Pedras que Flutuam em 1974,parece-me que foi meu primeiro trabalho que levei a público,e mesmo sendo mimeografado a àlcool, também era a época da geração mimeógrafo e até então eu não tinha me dado conta disso, eu senti uma grande satisfação e até hoje carrego comigo aquelas emoções que sentia quando alguém comentava ou adquiria um exemplar.  Enfim, foram apenas uns cem exemplares e eu cheguei a vender alguns. Por exemplo o José Dimas Guimarães Botelho (autor do Edu), que depois se batizaria na literatura como Zé Guimarães que vendeu centenas de seus exemplares de Edu ( impresso em moldes de offset) reagiu fazendo poemas de resposta ao livrinho, e até o Anibal Werneck, meu irmão, também participou da crítica e cheguei a ter ainda outros instantes que são glórias pra mim, do Armindo Torres (autor de ATRÁS DO COPO DE CERVEJA) que comentou em artigo em nosso jornalzinho de Recreio, falando sobre o livrinho.

Mas afinal o que esse despretensioso livrinho tá fazendo aqui nesse site de SEXO, na internet? Eu respondo, é que se hoje (naquela época não havia a internet como é hoje) qualquer pessoa que vive o mundo dos internautas ler os poemas do Pedras que Flutuam vai ver que o que está no livrinho tem muito a ver com o que se passa nas redes sociais notadamente nos sites, blogs, chats de relacionamentos. Mas antes de continuar , que tal você ouvir a música que tem as letras de um dos poemas do livrinho?
Embaixo do vídeo, o poema, letra da música do Anìbal.

VÍDEO


 

SAÍDA
Uma saída
para a vida
que na vida
inda não entrou.
*
CHEGA D A
A primeira vez que a vi
senti que era você
quem eu procurava.

Mas quando você falou
que era eu
que você também procurava
não me encontrou.

Saiu de si e de mim . . .
Não mais me espera na chegada
Pede licença
e sai

E não diz nada.
Como fazer
agora
quando é eu
que quero
chegar ainda
mais
perto de você

! ?

Já é tempo de eu começar
a treinar . . .
Como é que se sai
sem chegar
? , (…)

A de Antônio , in Pedras que Flutuam, Recreio,MG, junho de 1974

MAIS EM SEXO RADIANTE

Tudo bem, amore?

Quem não quer assim que iniciar um contato receber logo um Olá, querido… ou um  Tudo bem,amore?

Ou de repente,  com apenas alguns minutos receber uma mensagem toda colorida e provocante lhe despertando toda aquela libido que há muito você não sentia?

Pois é, isso é apenas um pouco do muito, que hoje, graças à tecnologia informática pode-se vivenciar pelos sites de relacionamento da Internet.

Há quem já na primeira mensagem, em um chat de sexo, ou até mesmo em um chat de site de relacionamento de amizade ou de namoro, o cara ou a cara já entre com esse apelo:

- Quero gozar.

Assustou?

Não se assuste. Se você é novo a viajar pela internet , só fica lá no Facebook, ou no Whatsapp apenas se relacionando com parentes e amigos numa boa, humm …não se assuste se de repente alguém, por querer ou sem querer lhe enviar uma foto bem íntima mostrando aquilo... Ou simplesmente lhe perguntar você curte sexo virtual? Pois é…

Mas enfim, há uns anos atrás, quando surgiu esse fenômeno dos sites de relacionamento, lembro-me de um senhor de idade, como se dizia antigamente, hoje simplesmente rotulado de idoso ou vivente da melhor idade ; sem saber direito o que era essa tal de WEB . ..falar assim : “nesse tal de internet deve ter muita gente se mostrando, ficando nu…”

Pois é, amigo leitor… Não se iluda não. Todo mundo que ainda não aderiu ao fenômeno da internet tem esse receio. Sabe que na frente de um PC ou notebook e hoje no mais usado e badalado celular tem muita gente tendo seus momentos prazerosos graças a essa tecnologia informática sem o contatos corpo a corpo , sem precisar sair de casa ou devido a distância , ou por outros motivos, talvez o que mais requer atenção, por não estar tendo aqueles momentos também de prazer com sua amada do dia a dia real na rotina de seus encontros, não estão vivenciando seus momentos com um a pitada de amor bem apimentado … com relasrelas e roças roças que às vezes só mesmo nos sites de relacionamentos ou chats de internet você consegue desfrutar e se deliciar mesmo sendo apenas prazerosamente virtualizado, mas gostosamente recompensado por estar tendo em casa o seu prazer amoroso colorido de fantasias sexuais.

Alerta para este carnaval – consumo excessivo de álcool afeta a fertilidade

A competência reprodutiva do casal é reduzida entre 30 e 50% com a ingestão diária de 200 mililitros de vinho ou uma garrafa de cerveja…

         Com a chegada do feriado de carnaval, muitas pessoas exageram nas comemorações com o abuso de bebidas alcoólicas. Muitos homens e mulheres entendem que os perigos deste excesso se limitam a acidentes automobilísticos, brigas e a famosa ressaca do dia seguinte. Entretanto, o médico gaúcho João Sabino da Cunha Filho, diretor do Centro de Reprodução Humana Insemine, explica que o álcool pode afetar de forma direta a fertilidade de ambos os sexos.

        ”No homem, o álcool reduz os níveis de testosterona e a qualidade e quantidade do espermatozoide. Pois, as células produtoras de testosterona atrofiam e há uma diminuição dos hormônios masculinos. O álcool pode, também, afetar o desejo sexual e levar a impotência por danos causados nos nervos ligados a ereção”, menciona Sabino.

Veja também

Sexóloga Franciele Minotto, do Sexo Lacrado, explica as consequências da falta de prevenção no Carnaval

CUIDADO! “NOTEBOOK”, no colo, pode causar INFERTILIDADE

USO DO COMPUTADOR NO COLO PODE LEVAR A INFERTILIDADE MASCULINA
Os homens que têm o costume de usar computador portátil no colo devem evitar este hábito, pois o calor excessivo gerado pode levar a infertilidade transitória ou até permanente. De acordo com Alberto Stein, urologista da Insemine – Centro de Reprodução Humana, o calor que o computador produz no colo aumenta a temperatura nos testículos em até 2,5ºC, o que pode afetar a produção, a forma e a velocidade dos espermatozoides.
“Os espermatozoides não sobrevivem a temperaturas altas. E a natureza sendo perfeita, colocou os testículos na bolsa escrotal para que a sua temperatura fique de 1 a 2,5°C abaixo da temperatura do corpo, podendo os espermatozoides se desenvolverem adequadamente. Segundo Dr. Stein, o calor gerado pelo computador muito próximo dos órgãos reprodutivos masculinos, faz temperatura aumentar, prejudicando o crescimento e desenvolvimento dos espermatozoides”.
De acordo com o especialista, esse prejuízo compromete a fertilidade masculina. Por isso, é recomendável que os homens utilizem sempre uma mesa ou algum suporte que deixe o aparelho longe dos testículos.
Estudos que relacionam o uso de computadores portáteis no colo à redução da fertilidade masculina ainda estão em desenvolvimento, principalmente nos Estados Unidos. “Mesmo que ainda não sejam conclusivos, os estudos já sinalizam que existe essa relação. Os homens, portanto, devem estar atentos a esse hábito”, e evitá-lo, declara Stein.